Textos

Noite

Têm noites de verão
Têm noites de outono
Têm noites que o são
Tira maçãs do pomo.

Tenho sede de viver
Estou vivo e sigo a arar
Cultivando ao meu ver
Posso sentir e até chorar.

Das lágrimas de um sorriso
Do desespero de um amor
De um desastrado e aviso
De um desatino candor.

E vejo sol com arco- íris
Pintando a aquarela
Por sobre a minha íris
Ao passear na passarela.

Tenho sede de viver
Nem penso em sofrer
Sou destino, com vida
Sou espera e sou guarita.

Leve como sereno de janeiro
Sinto a brisa fina matutina
Me faço um jardineiro
Vejo flores sobr'a retina.





 
Eduardo de Melo
Enviado por Eduardo de Melo em 16/12/2018
Alterado em 16/12/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários